domingo, 25 de setembro de 2011

Acordar....

Acordo,
Já à beira de água mas,
ainda a despertar...

Depois de noite descansada,
é tempo de viver,
é altura de sentir...

Olho para trás e vejo,
dias passados e,
com eles mágoas não sentidas.

Faço promessas a mim mesmo
de não voltar a ver como via,
de não voltar a olhar como olhava.

Chegou a hora há tanto esperada,
há muito pressentida,
há muito pedida...

Chegou a mudança prevista,
suficiente para mudar,
necessária para alterar
o que tem de ser feito.

Sinto a Força presente,
o calor dominante,
a brisa atlântica,
a transformação...

Dou graças por ter tomado forma
neste cantinho abençoado,
neste país ensolarado,
neste pequeno rectângulo chamado Portugal.

Agradeço e não me canso de o fazer,
mais e mais...

Aprendi e aprendo mais,
só falta afujentar o Medo,
esse malvado...

Descubro que gosto de escrever...,
de transcrever emoções,
há muito guardadas em cofres fechados,
vou encontrando as chaves,
a pouco e pouco...
vou caminhando
em busca de sinais e pistas,
ansioso por localizá-las...

Mas uma coisa é certa...

Dou mais valor às coisas simples,
mais côr à Vida.